Artigos

Um resumo da atual situação das placas-mãe para AMD

Fala pessoal, tudo jóia?

Não é de hoje que sabemos que os fabricantes priorizam o desenvolvimento de placas-mãe para os CPUs Intel em detrimento das de AMD e isso pode ser facilmente explicado por coisas como o fato da AMD ter largado a mão do mercado “high-end” não lançando um substituto para o Vishera, as APUs aquém do esperado e o marketshare cada vez menor.

Apesar desse aparente descaso, os CPUs da linha FX continuam vendendo muito bem aqui no Brasil devido a sua relação preço/performance favorável então de certo modo, ainda é relevante saber a quantas andam as placas-mãe para esses CPUs.

A essa altura do campeonato, com o socket AM3+ podendo ser considerado um “veterano” seria natural achar que todos problemas e bugs nas placas já estariam sanados mesmo sabendo desse “descaso” dos fabricantes para com essas placas… Doce ilusão! É fabricante ainda tendo problemas para fazer uma UEFI minimamente decente, é VRM mal projetado explodindo com algum over no CPU e é a falta de opção em placas mATX razoáveis.

Sabendo disso, fiz um apanhado geral de como anda as placas de AMD dos 4 maiores “players” disponíveis no mercado nacional (a saber, ASUS, ASRock, GIGABYTE e MSI) com base na minha experiência com placas desses fabricantes e do que se vê em fóruns por ai. Abaixo separei os tópicos por fabricante e em ordem alfabética, no final coloquei uma galeria de fotos das placas AM3+/FM2/FM2+ que já tive oportunidade de testar e registrar em fotos para ficar mais informativo, então vamos começar que a fila é longa!

Lembrando que o conteúdo desse post se refere apenas as placas para AMD!!!! As de Intel são de outro mundo completamente diferente…

  • ASUS:

Melhor suporte/funcionalidade para UEFI, tanto para as placas AM3+ quanto para as FM2+. Bônus para as placas AMD 970/990X/990FX deles serem as mais robustas do ponto de vista elétrico (VRM digital sem fazer uso de dobradores de fase para o CPU e também usam dissipadores adequados nas placas).

O ponto negativo é que eles costumam cobrar uma quantidade razoável de $$$ a mais por isso, o que não é um problema (é até justo na verdade) nas Sabertooth ou Crosshair da vida mas é complicado nas placas até R$500, fica ainda pior na faixa até os R$300 e é ai que a GIGABYTE nada de braçada pois nessas placas mais baratas ainda se usa a velha BIOS e ai eles costumam entregar mais por menos.

  • ASRock:

UEFI bastante funcional nas placas FM2/FM2+ (minha referencia é a ASRock FM2A85X Extreme6) e tão mediocre quanto ou até pior que a Giga nas AM3+ (minha referencia é a ASRock 990FX Extreme9). Uma coisa que eu não gostei deles é que precisa da tal “bios LN2” pra liberar uma porrada de ajustes que são úteis mesmo no ar/água e nem preciso falar que essas bios são “não-oficiais” e que pra conseguir isso só tendo contato com os caras…
Hardware deles é bem “mais ou menos”, o VRM da FM2A85X Extreme6 apesar de aguentar bem o tranco, roda muito quente e e o pcb das placas parece que é feito de papel pois provavelmente usam menos camadas para conseguir vender as placas com preço mais competitivo. A 990FX Extreme9 usa componentes de primeira linha no VRM e um pcb mais firme que a mobo FM2, só não sei como fica as placas AM3+ mid-end deles pois nunca testei…

  • GIGABYTE:

Suporte/funcionalidade para UEFI meia boca/ruim nas placas AM3+, FM2/FM2+ nunca testei placa deles. A GA-990FXA-UD3 rev3.0 que eu tinha (na verdade tenho, mas ela morreu) a UEFI era indecentemente ruim e cheia de bugs, me lembro de ter detalhado os problemas em resposta a um comentário de um review meu no OverBR até… As placas low-end que usam a boa e velha BIOS não apresentam tantos problemas com esses bugs irritantes, na verdade, elas até oferecem uma experiência melhor que as placas mais caras com UEFI.

Em termos de hardware, tendem usam bons componentes mas precisa ficar esperto com as n! revisões diferentes da mesma placa que costumam ter diferenças consideráveis de uma para a outra, exemplificando, na minha finada GA-990FXA-UD3 rev 3.0 o dissipador do VRM era claramente insuficiente enquanto que para a revisão 4 em diante eles colocaram um dissipador com heatpipe bem mais robusto, além de terem reformulado o VRM todo.

  • MSI:

Não sei afirmar nada sobre a qualidade da UEFI pois nunca testei pessoalmente mas pelos relatos de colegas de equipe que tiveram placas AMD recentes deles, não esperaria coisa muito melhor do que o oferecido pela ASRock.
A qualidade do hardware é de mediocre pra baixo pois usam mosfets NIKOS D-PAK no VRM do CPU e isso basicamente significa que é bom fazer um bom seguro contra incêndio ou até mesmo um de vida, pois isso é explosivo e não é exagero meu, vejam esse vídeo:

Para quem não sabe, o FX boota no pstate mais baixo então a desculpa de que o cara excedeu as especificações da placa não cola pois explodiu antes de carregar o SO.
Apenas para constar, esses mosfets NIKOS foram citados em um material de marketing da Toshiba e usados como “benchmark” por eles… A princípio isso parece bom não fosse a conotação negativa que foi dada, vejam só:

nikos

O maior problema desses mosfets é que eles rotulados pelo fabricante @ 25C só que acontece que o VRM obviamente trabalha com temperaturas bem mais altas que isso e nessas condições a corrente máxima que o mosfet suporta é menor. Sabendo disso e também que a MSI não implementou proteções como OCP, OTP e afins, fica fácil explicar o porque ocorrem coisas como a do vídeo acima.

 

Anúncios

5 thoughts on “Um resumo da atual situação das placas-mãe para AMD”

  1. Excelente site, adorei o conteúdo voltado para a linha FX.
    Tenho uma M5A78L-M/USB3, com um Phenom II X4 965, o coitado chega no máximo a 4GHz, com vcore de 1,6V na Bios.
    Tenho um Thermaltake frio, um excelente cooler e creio que segura de boa um FX com uma frequência alta.
    Gostaria de saber se compensa comprar um FX 8320E, para essa placa mãe, ou se é dinheiro jogado fora.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá Luciano, primeiramente agradeço o elogio e o comentário. 🙂

      Com relação ao FX vou ser direto: Você faz uso de aplicações que se beneficiariam dos 8 cores do FX (ex: render, edição de vídeo)? Caso sim, o FX vai oferecer um bom ganho em relação ao bom e velho Phenom senão não. Outra coisa… O upgrade é urgente? Pois os Zen AM4 estão logo ali e prometem um bom ganho sobre o FX Vishera.

      Com relação a mobo, ela deve te limitar alguma coisa no OC do FX (VRM de 4+1 fases sem dissipador e conector de energia de apenas 4 pinos) mas se tiver sorte de pegar um bom exemplar que suba bem sem precisar de muito vcore ainda deve conseguir algo razoável.

      Curtir

      1. Fala rapaz, boa noite.
        Comprei um FX 8320e, só substituí o Phenom II X4 965.
        O processador é muito bom, fiz testes rápidos nele e consegui subir até 4.7GHz, porém a margem térmica está abaixo dos 7ºC e por isso, alguns núcleos baixam a frequência, para manter um equilíbrio térmico.
        O Phenom estava funcionando com a carga acima dos 85% de uso, no GTA V ficava em 95%. Problema resolvido trocando o processador.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s